+55 41 3223-7708 | 98739-8371

Postado 22 de dezembro de 2020

Os espinhos

Por Adélia Maria Woellner

Os espinhos,

no caule da roseira,

são escada

para alcançar a flor.

Localização:
RuaPiquiri,326

Sobre o autor(a):

Poetisa Adélia Maria Woellner, nasceu em Curitiba (PR), no dia 20 de junho de 1940. Filha de Osvaldo Woellner e Iolanda Joslin Woellner. Mãe de Alélia R.G.Brejinski e avó de Fernanda e Ricardo Brejinski. Formou-se em Direito, pela Universidade Federal do Paraná, em 1972, quando foi premiada com quatro medalhas, inclusive a de ouro, por haver obtido o 1º lugar no curso jurídico noturno. Foi professora (Direito Penal-PUC-PR) e funcionária da Rede Ferroviária Federal-Regional de Curitiba, onde exerceu funções de relevância.  Pertence à Academia Paranaense de Letras (Cadeira nº 15); ao Centro de Letras do Paraná (presidente, biênio 98-99); além de a várias outras entidades lítero-culturais. Seu nome é verbete em dicionários e enciclopédias. Recebeu inúmeros prêmios e homenagens. Sua obra foi objeto de dissertação de mestrado (Profª Clarice Braatz Schmidt Neukirchen) e de pesquisa de pós-doutorado (Profª Níncia Cecília Ribas Borges Teixeira). Sua produção poética foi objeto de análise pela Profª Neumar Carta Winter, publicada no livro “Estudos Literários”, Juruá Editora, Curitiba, 2011. Idealizou, organizou, coordenou e editou o livro Infinita Sinfonia, de Helena Kolody (2011). Publicou mais de vinte títulos, entre: poemas (9), prosa (6: crônicas, ensaio, pesquisa) e literatura infantil (14), além da coleção Valores Humanos (12 volumes), em coautoria com Heliana Grudzien, Editora Expressão. As histórias A Menina que Morava no Arco-Íris e O Jardim das Virtudes foram adaptadas, por Gil Gabriel, como roteiro do teatro de bonecos criado e apresentado pela Almazen Teatro de Bonecos.

Sobre o poema:

O poema Os espinhos procura oferecer compreensão de que as dificuldades, obstáculos, sofrimentos da vida são experiências que levam à maturidade, posto que nada se consegue sem esforço, dedicação, persistência. A vida nos fere (espinhos), mas isso nos fortalece, para alcançar os objetivos. O poema encerra estímulo para superação das dificuldades;

Desenvolvido por